Bem-vindo(a) a Filtros Inflow

Bem-vindo(a) a Filtros Inflow

Últimos Adicionados

Nenhum produto no carrinho.

Blog INflow

  • Greve dos caminhoneiros - cuide do seu veículo!

    A greve dos caminhoneiros teve impacto nacional e gerou uma grave crise de abastecimento não somente de combustível, mas de bens de consumo diversos para a população brasileira. Buscando uma redução na taxação do diesel e em novas medidas que favorecem o seu trabalho, caminhoneiros protestaram no país inteiro, tanto através do bloqueio de rodovias quanto da paralisação e atraso da entrega de diversos tipos de cargas, muitas delas perecíveis. Em um período de instabilidade e conflito como esse, preparamos este artigo para apontar os principais cuidados que se deve ter com o veículo para evitar prejuízos.

     

    Não estacione em locais afastados

     

    Em diversas cidades do país tem sido observado o roubo de combustível de veículos estacionados nas ruas. Através de um pequeno furo no tanque, os ladrões conseguem retirar o combustível de forma quase imperceptível. A maioria dos motoristas só consegue notar o ocorrido ao tentar dar a partida e o veículo não responder. Em tempos de escassez, é preciso ter cuidado redobrado com um dos bens que está fazendo mais falta para o brasileiro - o combustível. Portanto, até que a greve dos caminhoneiros se acabe, evite estacionar em locais com pouco movimento ou sem vigilância.

     

    Cuidado com substâncias nocivas ao veículo - só abasteça com combustível de procedência

     

    O desespero é grande e, sem combustível, parece que o país ameaça parar completamente. Por essa razão, milhares de pessoas têm recorrido a outras substâncias para colocar no tanque, como álcool etílico e bebidas alcoólicas. Embora a maior parte dos casos seja de caráter emergencial, é notável o risco de se utilizar substâncias de natureza distinta dos combustíveis tradicionais no veículo. O dano pode ser geral a depender dos elementos acrescidos ao álcool. Mesmo postos de gasolina têm vendido combustíveis misturados para “melhorar” o rendimento. Tome sempre muito cuidado caso consiga abastecer, verificando se o combustível é de boa procedência.

     

    Durante a greve dos caminhoneiros, mantenha a calma!

    Estamos vivendo de um período de instabilidade política, econômica e de segurança e, por essa razão, é imprescindível manter a calma e ter cuidado dobrado em tudo o que se vai fazer. Além de ter cuidado com nossos carros, precisamos também zelar pela nossa integridade! Evitar entrar em discussões acaloradas, zonas de conflito com a polícia e permanecer em bloqueios - se você não tem participação ativa na greve, é claro - são dicas que podem garantir maior segurança para você e sua família. Esperemos que tudo isso tenha resultados positivos no final das contas e que nosso país alcance uma situação de mais justiça para todos nós. Afinal, um dos pontos nos quais mais tocamos nesse blog é a respeito da economia de combustível, fator que pesa muito em nosso bolso. No mais, nos resta esperar e torcer para que toda essa situação se regularize em breve para que possamos retomar o nosso dia a dia.

  • Como desperdiçar dinheiro com o carro

    Certamente você tem aquele amigo que tira o fim de semana para “cuidar” do carro. Esse cuidado geralmente envolve lavagem interna e externa, enceramento, polimento e até mesmo alguns pequenos reparos que se pode fazer em casa mesmo. Poder efetuar algumas mudanças no carro pode se tornar um verdadeiro hobby e não há nada de errado nisso, exceto quando o proprietário age movido pelo impulso ou por recomendações duvidosas, sem se certificar se o que pretende fazer no veículo será realmente benéfico ou não. Toda essa falta de informação pode facilmente fazer você desperdiçar dinheiro com o carro.

    Um outro extremo é aquele típico proprietário cuidadoso, que exagera na hora de contratar serviços ou abastecer. Há ainda quem simplesmente não faça nada, ignorando as recomendações do fabricante. Diante de tudo isso, surge a pergunta: qual é o cuidado ideal que devemos ter com o veículo? Separamos este artigo para esclarecer alguns pontos importantes. Confira abaixo as formas mais comuns de se desperdiçar dinheiro com o carro.

     

    Só abastecer com combustível premium

     

    Há diversos tipos de combustível premium e nem sempre ela trará ganhos de rendimento ou aumento da vida útil do motor, por exemplo. Na verdade, você simplesmente estará gastando mais de forma desnecessária, já que esse tipo de combustível é bem mais caro. Somente motores de alta performance ou alguns modelos de luxo exigem o uso de combustível premium. Na dúvida, consulte o manual. Se nada for falado a esse respeito, use combustível comum.

     

    Deixar de trocar o filtro de ar

     

    O filtro de ar sujo aumenta o consumo de combustível e reduz o desempenho do veículo, sem mencionar o prejuízo que proporciona ao motor. Cada fabricante recomenda a troca em determinado período de tempo ou após determinada quilometragem rodada. Se você não gosta de se atentar para isso, coloque um filtro de ar especial, que exige menos trocas ao longo do tempo e possui um meio filtrante muito mais durável.

     

    Trocar o óleo a cada 5 mil quilômetros

     

    Parte das lojas e concessionárias (não são todas, obviamente), ao vender um veículo, oferece mil serviços e produtos adicionais aos seus clientes. Se todos esses produtos forem contratados certamente o rombo na conta será grande. Portanto, fique de olho no manual do proprietário e só faça o serviço se o fabricante solicitar. Geralmente, a troca de óleo é recomendada num intervalo entre 7500 e 10000 km rodados. Antes disso, você estará trocando óleo utilizável - apenas mais uma forma de desperdiçar dinheiro com o carro!

     

    Colocar aditivos no combustível

     

    Todo mundo precisa faturar e também é comum que alguns postos de gasolina ofereçam produtos e serviços que supostamente melhorariam o consumo e o desempenho no carro, quando na verdade a relação custo-benefício não é interessante para o proprietário. Novamente, só aceite esse tipo de produto se o manual do proprietário mencionar a necessidade de que seja utilizado, para que assim você tenha a garantia de investir em algo que realmente trará retorno e não apenas te fará desperdiçar dinheiro com o carro.

  • 4 fatores que aumentam o consumo de combustível

    Não tem como fugir - combustível pesa no bolso! Todas as formas de economizar são válidas, desde passar naquele posto em promoção (porém com combustível confiável) até realizar algumas manutenções no veículo que otimizam o consumo e melhoram o rendimento. No nosso dia a dia existem diversos hábitos que podem fazer com que o consumo de combustível aumente ou diminua e hoje vamos falar um pouco sobre cada um dos itens que aumentam o consumo de combustível.

     

    Velas

     

    Muitas pessoas dizem que as velas começam a falhar, indicando que devem ser trocadas. Porém, em muitos casos elas simplesmente estragam. Isso acontece porque podem estar com o prazo de validade vencido e o motorista não se atentar para os sinais que o seu veículo apresenta. Por essa razão, não é recomendável esperar por esses sinais e sim trocar as velas de acordo com as indicações do fabricante. As velas influenciam enormemente no consumo de combustível de um veículo, já que a sua função é gerar energia para que a combustão aconteça no motor. Velas ruins afetam a combustão e, como consequência, a quantidade de combustível que o veículo utiliza para se deslocar.

     

    Filtro de ar

     

    Um filtro de ar sujo pode se tornar um item que aumenta o consumo de combustível. Os filtros de ar são responsáveis por filtrar a entrada do ar no motor, garantindo que a combustão ocorra com ar limpo e livre de partículas de poeira e outros materiais. Sua função é de proteger o motor contra essas partículas e de viabilizar uma combustão com mistura ideal entre combustível e ar. Ao ficar sujo, o filtro entope, impedindo que o ar entre e forçando o motor a realizar uma combustão com mais combustível do que ar, aumentando o consumo e reduzindo o desempenho. A troca do filtro de ar deve ser feita a cada 10 mil km. Uma boa solução é trocar o filtro de ar original por um filtro especial que possui tecnologia superior e não se entope tão facilmente.

     

    Óleo

     

    Assim como o filtro de ar, a troca de óleo deve ser feita regularmente. O óleo sujo cria um tipo de borra que gera atrito entre os componentes do motor e dificulta a movimentação das peças que deveriam estar lubrificadas afetando o consumo de combustível. Fique de olho nas recomendações do fabricante do seu veículo e não atrase para trocar o óleo.

     

    Peso

     

    Aqui a relação é simples: quanto mais peso há no seu veículo, maior será a energia necessária para deslocá-lo! Portanto, se você é do tipo que carrega a casa consigo, considere mudar esse hábito. Até um tanque cheio pode representar um gasto significativo de combustível desnecessariamente a longo prazo. Alivie o peso do seu veículo e certamente poderá notar um consumo de combustível menor, bem como um desempenho mais satisfatório. Além disso, um veículo organizado é muito mais agradável de se dirigir!

  • Os riscos de se tirar o filtro de ar de um veículo

    Modificar o automóvel é irresistível para alguns proprietários. Afinal, com tantos acessórios à venda e por valores relativamente acessíveis pode ser tentador deixar o veículo “mais a nossa cara”, com um ronco mais imponente e com um desempenho melhor, caso isso seja possível. Como o filtro de ar do motor é um componente de valor acessível e fácil de se manipular, é bastante comum que seja uma das alterações mais habituais de se fazer no automóvel. Porém, não é difícil encontrar por ai alguns motoristas que consideram a ideia de tirar o filtro de ar de um veículo, para que o ar entre livremente no motor e permita mais “fôlego”. Será que isso é uma boa ideia?

     

    Em primeiro lugar, nada deve ser feito sem a consulta a um especialista, por mais tentador que seja fazer tudo por conta própria. Os veículos modernos estão cada vez mais complexos e não basta levar jeito com mecânica para se ter a garantia de que as modificações não prejudicarão o veículo de alguma forma. Tirar o filtro de ar de um veículo é uma medida que pode ser considerada bastante radical e que pode trazer prejuízos gravíssimos.

     

    Compreendendo a função do filtro

     

    O filtro de ar viabiliza o funcionamento do motor, já que permite uma combustão segura e com a mistura ideal de combustível e ar. A mistura ideal nada mais é do que a proporção média de 14 partes de ar para uma de combustível. A mistura rica, em combustão automotiva, significa mais partes de combustível e menos de ar e ocorre, geralmente, quando o filtro está muito sujo ou é muito restritivo. A mistura pobre ocorre quando há mais ar do que combustível dentro do motor. Tanto a mistura rica quanto a pobre geram problemas de desempenho e riscos de danos ao motor e aos seus componentes, já que não são condições indicadas de uso.

     

    O que acontece ao tirar o filtro de ar de um veículo?

    O filtro de ar, mais do que apenas filtrar o ar, possui o dever de equilibrar sua entrada para dentro do motor, garantindo não só que seja um ar livre de partículas de poeira e outros materiais a entrar no motor, mas sim que seja quantidade suficiente para uma mistura ideal entre ar e combustível. Ao tirar o filtro de ar de um veículo, a entrada de todo tipo de material - poeira, folhas, pequenas pedras etc. - é livre. O atrito que esse material causa dentro do motor é capaz de danificá-lo até que funda, gerando custos altíssimos para se corrigir o problema. Mesmo que seja por um curto período de tempo, jamais tire o filtro de ar do seu motor. O ganho de potência será irrelevante comparado ao dano causado em sua mecânica. É muito mais interessante substituir o filtro de fábrica por um filtro de ar esportivo, que gera ganho de potência, economia de combustível e tudo isso com uma capacidade filtrante ainda mais eficiente.

  • Confira as dicas de especialistas para economizar após a alta do preço do combustível

    Em 2017 experimentamos uma das maiores altas dos últimos tempos no preço do combustível e o início de 2018 veio para provar que este panorama está longe de melhorar. A alta foi de 41 centavos por litro, que significa uma diferença enorme para quem precisa percorrer de carro longas distâncias todos os dias.

        Há pouco que pode ser feito do ponto de vista político. É preciso pensar em medidas urgentes para economizar porque o aumento realmente pesa no bolso de milhões de pessoas. Por isso, especialistas dão algumas dicas para economizar combustível e evitar que as finanças sejam tão impactadas com a alta dos preços.

    Substitua o veículo por caminhadas ou pedaladas

        A tendência de substituir o carro pela bike ou por uma boa caminhada tem crescido muito no Brasil, e prefeituras de diversas cidades têm acatado a causa e investido em infraestrutura para tanto, especialmente no que diz respeito aos ciclistas. É claro que essa dica não é válida para quem precisa andar longas distâncias todos os dias - realidade de pessoas que moram em grandes cidades ou que precisam viajar para trabalhar. Porém, é bastante válida para quem mora a algumas quadras do trabalho e acha mais cômodo ir de carro. Neste caso, a substituição do carro pela bicicleta ou pela caminhada pode representar uma economia bastante significativa no final do mês. Vale a pena tentar, certo?

    Só abasteça em postos de confiança

        Todos devem concordar que agora não é o momento ideal para fazer testes, certo? Muito bem! Aquele posto sem bandeira e com aparência duvidosa não deve ser a melhor opção para abastecer. Combustíveis sem procedência não são garantidos por nenhuma marca, têm baixo rendimento e ainda podem prejudicar o veículo. Muitas pessoas acabam utilizando combustíveis adulterados na tentativa de economizar. O barato pode sair muito caro, especialmente em tempos de gasolina a R$4,80 e álcool a R$3,60!

    Esteja em dia com a manutenção do veículo

        Estar em dia com as revisões recomendadas pelo fabricante do seu veículo significa mantê-lo funcionando da melhor forma possível, sem desgastes excessivos ou gastos exagerados de combustível. Um motor que se mantém revisado sempre será o melhor amigo do seu automóvel, tendo um bom desempenho e gastando apenas o combustível que foi projetado a gastar, nenhum litro a mais!

    Fique de olho no filtro de ar

    Se o seu veículo está gastando mais do que de costume, a sua atenção deve se voltar para o filtro de ar. Afinal, há quanto tempo você não o troca? Os filtros de ar originais são famosos por consumirem muito combustível tão logo se sujem. Isso se explica por conta da tecnologia e do material, que se torna restritivo quando há a presença de muitas partículas de sujeira. Resultado? O motor acaba utilizando combustível para compensar o ar impedido de entrar pelo filtro. Se você não quer se preocupar muito com isso, uma boa opção é utilizar um filtro de ar especial, que precisa ser trocado com menos frequência e não restringe a passagem de ar.

  • As melhores dicas para conservar o motor do seu carro

    Muitos quilômetros rodados não significa que o motor de um veículo é ruim, e o mesmo vale para o contrário. A depender dos hábitos de um motorista, o motor do carro pode se desgastar muito e até fundir com pouquíssimo tempo de uso. Nenhum fabricante produz veículos com motores de baixa durabilidade, de modo que podemos esperar que os nossos motores sobrevivam por muito tempo. Isso, é claro, exige cuidados constantes, sensatez na hora de dirigir e algumas visitas a um especialista para garantir que não há nenhum problema se desenvolvendo silenciosamente. Abaixo, listamos 4 dicas para que você saiba como agir para manter o  motor do seu veículo saudável por muito mais tempo.

    Gerencie bem a sua velocidade

    Se você está em alta velocidade e precisa frear e reduzir bruscamente a velocidade, o câmbio deve acompanhar essa mudança. Rodar em rotação excessivamente baixa significa forçar o motor de forma nociva à sua saúde. Do mesmo modo, não é interessante esperar muito para trocar a marcha ao aumentar a velocidade. Fique atento ao som produzido pelo motor ao solicitar a mudança de marcha. É um som um tanto incômodo.

    De olho no conta-giros

    Veículos munidos de conta-giros indicam, através de uma faixa vermelha (limite de corte), o momento no qual o próprio sistema do carro começa a cortar os giros para evitar a quebra de algum componente. Geralmente, atingir esse nível significa velocidade demasiadamente alta para a marcha engatada e uma pressão extremamente perigosa sobre o motor. Essa dica segue o mesmo raciocínio da anterior e podemos ainda chamar a atenção para os malefícios de, uma vez em quinta marcha, atingir velocidades excessivamente altas. Trata-se de risco altíssimo de acidente.

    Não ande com o filtro de ar sujo

    Muitas pessoas negligenciam o momento de se trocar o filtro de ar, que não pode esperar muito. Um filtro entupido evita a entrada de ar limpo no motor, obrigando-o a trabalhar com uma mistura rica, ou seja, com mais gasolina e menos ar. O veículo consome mais combustível, atua em desempenho inferior e ainda sofre com os resíduos que, em quantidade excessiva, acabam entrando no motor. No médio e longo prazo, o risco de fundir é altíssimo, especialmente se você trafega em locais com muita poeira, terra e pedras. Para não ter essa constante preocupação, você pode optar por trocar o seu filtro de ar original por um filtro de ar especial, que possui maior capacidade filtrante e uma vida útil muito maior.

    Não atrase a troca do óleo

    O óleo também é um componente importantíssimo e sua troca não pode ser atrasada. Ele é responsável por lubrificar os componentes do motor, facilitando o seu funcionamento e atenuando o atrito entre as peças. Quando sujo, perde sua capacidade lubrificante e as peças sofrem desgaste muito maior. Verifique a indicação do seu fabricante e só utilize o óleo indicado especificamente para o seu veículo. A troca do óleo inclui, obviamente, a troca do filtro de óleo. Postos de gasolina especializados em serviços podem fazer a troca do óleo do seu carro rapidamente, assim como oficinas e concessionárias.

  • Por que o combustível subiu? Entenda os mecanismos que afetam o custo do seu transporte

    A alta do combustível no Brasil tem revoltado muitos motoristas, gerado greves por parte de transportadoras e aumentado as despesas diárias de milhões de pessoas que dependem do seu veículo para garantir o seu sustento ou mesmo para ir para o trabalho todos os dias. Por isso, o valor dos combustíveis pode ser considerado como um assunto bastante delicado e é válido que o consumidor saiba o motivo pelo qual está acontecendo.

    O cenário de instabilidade política e econômica dos últimos anos no país gerou alguns problemas relacionados ao equilíbrio das contas públicas. Assim, o novo governo tem buscado alternativas para aumentar a arrecadação, numa tentativa de reequilibrar essas contas. Para tanto, aumentou o tributo sobre o combustível ao máximo permitido em lei, como esclareceu o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid. Além disso, houve novo reajuste em função do Furacão Harvey, que atingiu refinarias no Golfo do México, fechando suas portas e afetando diretamente o preço do barril de petróleo, levando o litro de combustível no Brasil a valores altíssimos.

    Deixando de lado debates políticos, é preciso pensar em soluções para lidar com a nova realidade de preços. Afinal, medidas para economizar são sempre bem-vindas e há algumas dicas interessantes que devem ser seguidas para garantir, ao menos, que o gasto não seja assim tão expressivo e que o reajuste afete o mínimo possível o seu bolso.

    Abasteça em locais confiáveis

    Combustíveis adulterados são, infelizmente, uma realidade bastante comum no Brasil. O consumidor deve escolher levar o seu veículo para abastecer em postos chamados bandeirados, que são vinculados às melhores empresas. Nesses postos, a procedência do combustível é assegurada.

    Troque o filtro de ar do motor

    Circular por aí com o filtro de ar sujo representa um significativo desperdício de combustível, sem mencionar os malefícios que isso causa ao motor. Portanto, siga as recomendações da sua concessionária e troque o filtro periodicamente. Uma boa opção é trocar o filtro de ar original por um filtro especial, a fim de garantir maior economia, ganho de desempenho e outros benefícios.

    Vá devagar!

    Respeitar os limites de velocidade, não apenas garantem a sua segurança e a de quem está em seu veículo, mas também ajudam a economizar. Acelerar o tempo todo e manter velocidades excessivamente altas durante o trajeto não representa um bom custo-benefício, já que exige do veículo um desempenho constante além do que ele foi projetado para ter. Pisar fundo pode também pesar no seu bolso.

    Evite o excesso de peso

    Ora, o combustível é a fonte de energia da qual o seu carro se utiliza para se deslocar, certo? Portanto, quanto mais peso há no veículo, mais energia será necessária para que ele se desloque. Se você é o tipo de pessoa que carrega a casa dentro do carro, repense este hábito! Aliviar o peso do veículo pode aliviar o gasto. O mesmo vale para quem tem costume de andar sempre de tanque cheio - o excesso de combustível demora a ser utilizado e o peso pode ultrapassar 30 kg a mais que você carrega sem nenhuma necessidade.

  • Filtros INflow - os filtros de ar ecologicamente corretos

    Ver a natureza pedir socorro e se revoltar contra a humanidade, fenômenos climáticos resultantes do descaso com o meio ambiente e presenciar o grave dano que a vida humana vem causando ao planeta é muito frustrante, para dizer o mínimo. Saber que o nosso estilo de vida é nocivo para os ecossistemas realmente nos dá vontade de fazer algo para mudar ou, pelo menos, para minimizar o dano que causamos. Infelizmente, mudanças drásticas demais acabam por estar fora de cogitação para a maioria das pessoas. Afinal, estamos inseridos em diferentes contextos culturais e sociológicos. Porém, se cada um fizer a sua parte, ainda que uma pequena parte, já podemos considerar como uma grande vitória.

    Mas o que significa “fazer a sua parte?” Ora, é separar o lixo entre orgânicos, recicláveis e rejeitos, evitar sujar as ruas e estradas e ainda: evitar consumir produtos cujas empresas não possuem responsabilidade ambiental. Na atual conjuntura, empresas que prezam pelo meio ambiente e atuam para poluir menos e conscientizar seus clientes sobre a importância disso possuem maior credibilidade e maior tendência a absorver demandas daquelas que não o fazem. Hoje, vamos falar sobre como a Trytech conseguiu criar um filtro de ar para carro ecologicamente correto.

    Por que os filtros INflow são ecologicamente corretos?

    A Trytech buscou idealizar um filtro especial para carro que pudesse, de alguma forma, contribuir com o meio ambiente, já que a empresa possui responsabilidade ambiental. Assim, podemos começar falando a respeito do descarte de resíduos sólidos, que ainda é um grande problema em todo o mundo. Uma das chaves para se resolver a questão é diminuir a quantidade de resíduos que descartamos diariamente e, quando isso não é possível, separar o lixo reciclável para que empresas especializadas reutilizem o material e o insira novamente no mercado em vez de descartar no meio ambiente. Os filtros INflow possuem uma vida útil até quatro vezes maior do que filtros originais de algodão ou papel. Estes, devem ser trocados a cada 6 meses ou 10 mil km, enquanto os filtros INflow só precisam ser trocados a cada 2 anos ou 60 mil km. Enquanto nenhum dos dois chega ao seu limite de troca, só precisam ser lavados, de acordo com as instruções de fábrica. Assim, enquanto o consumidor supostamente descartaria o material equivalente a quatro filtros em dois anos, utilizando um filtro especial lNflow, descartará apenas um que é quase 100% reciclável.

    Outro fator que é importante mencionar é sobre a economia de combustível em longo prazo, que pode ter uma redução de até 10% quando comparado ao consumo do filtro original, considerando, obviamente, que este tem sua eficiência reduzida ao longo do tempo. À medida que os poros do filtro de algodão ou papel se entopem, ele se torna mais restritivo, fazendo com que a mistura dentro do motor exija mais combustível para compensar a falta de ar. Assim, o veículo “beberá” mais. A vantagem de um filtro especial INflow é que ele consegue atender às necessidades de filtragem e alimentação do motor, mesmo após algum tempo de uso, já que sua tecnologia é baseada em um meio filtrante que retém apenas partículas de poeira e sujeira. Para saber mais, clique neste link e fale com um consultor através do chat, em tempo real.

  • Filtros INflow - os filtros de ar ecologicamente corretos

    Ver a natureza pedir socorro e se revoltar contra a humanidade, fenômenos climáticos resultantes do descaso com o meio ambiente e presenciar o grave dano que a vida humana vem causando ao planeta é muito frustrante, para dizer o mínimo. Saber que o nosso estilo de vida é nocivo para os ecossistemas realmente nos dá vontade de fazer algo para mudar ou, pelo menos, para minimizar o dano que causamos. Infelizmente, mudanças drásticas demais acabam por estar fora de cogitação para a maioria das pessoas. Afinal, estamos inseridos em diferentes contextos culturais e sociológicos. Porém, se cada um fizer a sua parte, ainda que uma pequena parte, já podemos considerar como uma grande vitória.

    Mas o que significa “fazer a sua parte?” Ora, é separar o lixo entre orgânicos, recicláveis e rejeitos, evitar sujar as ruas e estradas e ainda: evitar consumir produtos cujas empresas não possuem responsabilidade ambiental. Na atual conjuntura, empresas que prezam pelo meio ambiente e atuam para poluir menos e conscientizar seus clientes sobre a importância disso possuem maior credibilidade e maior tendência a absorver demandas daquelas que não o fazem. Hoje, vamos falar sobre como a Trytech conseguiu criar um filtro de ar para carro ecologicamente correto.

    Por que os filtros INflow são ecologicamente corretos?

    A Trytech buscou idealizar um filtro especial para carro que pudesse, de alguma forma, contribuir com o meio ambiente, já que a empresa possui responsabilidade ambiental. Assim, podemos começar falando a respeito do descarte de resíduos sólidos, que ainda é um grande problema em todo o mundo. Uma das chaves para se resolver a questão é diminuir a quantidade de resíduos que descartamos diariamente e, quando isso não é possível, separar o lixo reciclável para que empresas especializadas reutilizem o material e o insira novamente no mercado em vez de descartar no meio ambiente. Os filtros INflow possuem uma vida útil até quatro vezes maior do que filtros originais de algodão ou papel. Estes, devem ser trocados a cada 6 meses ou 10 mil km, enquanto os filtros INflow só precisam ser trocados a cada 2 anos ou 60 mil km. Enquanto nenhum dos dois chega ao seu limite de troca, só precisam ser lavados, de acordo com as instruções de fábrica. Assim, enquanto o consumidor supostamente descartaria o material equivalente a quatro filtros em dois anos, utilizando um filtro especial lNflow, descartará apenas um que é quase 100% reciclável.

    Outro fator que é importante mencionar é sobre a economia de combustível em longo prazo, que pode ter uma redução de até 10% quando comparado ao consumo do filtro original, considerando, obviamente, que este tem sua eficiência reduzida ao longo do tempo. À medida que os poros do filtro de algodão ou papel se entopem, ele se torna mais restritivo, fazendo com que a mistura dentro do motor exija mais combustível para compensar a falta de ar. Assim, o veículo “beberá” mais. A vantagem de um filtro especial INflow é que ele consegue atender às necessidades de filtragem e alimentação do motor, mesmo após algum tempo de uso, já que sua tecnologia é baseada em um meio filtrante que retém apenas partículas de poeira e sujeira. Para saber mais, clique neste link e fale com um consultor através do chat, em tempo real.

  • Gás natural veicular é um bom combustível? Conheça as vantagens e desvantagens

    Em tempos de alta do valor do combustível a maior tendência do consumidor é procurar opções para economizar. Já que não é possível se desfazer do veículo, a ideia é procurar postos com promoção, rotas mais curtas ou com menos fluxo de veículos, atenção redobrada com a troca do filtro de ar e até mesmo a redução do uso de ar condicionado. Muita coisa vale quando falamos sobre aliviar a pressão no bolso no fim do mês. Mas será que vale a pena adaptar o veículo para funcionar com um novo combustível?

     

    Os veículos flex, como o próprio nome já sugere, permite ao consumidor certa flexibilidade na hora de escolher o combustível, podendo optar, entre álcool e gasolina, por aquele que compensa mais no momento. Porém, uma opção que vem sendo cada vez mais comentada é o Gás Natural Veicular (GNV), o combustível mais barato do mercado, que rende mais e que polui menos. O único contra, dizem, é que é preciso fazer uma adaptação no veículo para que ele funcione com o GNV. Seria possível tantos benefícios?

     

    O que é o Gás Natural Veicular?

     

    Trata-se de uma substância gasosa que é extraída do subsolo, formada por uma mistura de hidrocarbonetos leves e que pode ser utilizada como combustível. De acordo com a Petrobrás, o GNV já é amplamente utilizado como combustível na indústria, no aquecimento predial e também como matéria-prima para a fabricação de fertilizantes. Acredita-se que é o “combustível do futuro”, já que proporciona uma queima que pode ser considerada como uma das mais limpas, tendo em vista que não possui enxofre em sua composição. Isso significa que não causa o problema da chuva ácida, por exemplo.

     

    Ainda de acordo com a Petrobrás, o GNV consegue aumentar a vida útil do motor devido ao fato de ser um combustível seco e limpo, além de evitar a corrosão do escapamento do veículo. Os custos da troca de gasolina ou etanol pelo GNV podem ter uma economia de até 60% ao longo do tempo, já que é muito mais barato. O custo da adaptação pode variar de R$2.500 a R$6.000, a depender do tamanho do cilindro. Abastecê-lo possui um custo médio de R$30 que pode garantir que o veículo rode cerca de 190 km.

     

    A desvantagem mais falada, até o momento, é que o cilindro ocupa um considerável espaço no porta-malas. Especialistas garantem que não há perda de potência do veículo e nenhum outro problema de segurança que o torne uma opção inferior à gasolina ou ao álcool. Trata-se de um combustível mais limpo, com menos impacto ambiental e que rende muito mais. Em todo caso, após a adaptação, o proprietário do veículo precisa redobrar os cuidados com o filtro de ar, as velas e cabos, já que sofrem maior desgaste. No caso do filtro de ar é interessante optar por um filtro especial, já que possui maior capacidade filtrante e é composto por material mais resistente, evitando problemas ocasionados por falhas na filtragem.

1-10 de 54

Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6